Ao fechar esta mensagem, e exceto se tiver desativado as cookies, concorda com o seu uso neste dispositivo, de acordo com a Política de Cookies e Termos de Utilização do Website do Colégio São João de Brito. Optando pela desativação das cookies, algumas partes do nosso site poderão não funcionar corretamente.
Aceito
Saiba mais

Ano Letivo

Notícias

Dia 20 - início do Ano Inaciano. Celebração de uma ferida que deu muito fruto



Ontem, dia 20 de maio, os alunos e professores do colégio juntaram-se, por grupos, em cinco belíssimas Eucaristias (uma para os alunos do 1.º e 2.º ano, outra para 3.º e 4.º ano, e mais três para os diferentes ciclos do liceu) para dar início ao novo Ano Inaciano 2021-2022, durante o qual, juntamente com toda a família jesuíta pelo mundo fora, celebraremos os 500 anos da extraordinária conversão interior de Santo Inácio de Loyola.

A 20 de maio de 1521, de facto, deu-se a batalha de Pamplona, em que Iñigo foi ferido gravemente por uma bala que quase o matou, o deixou coxo para sempre, e lhe mudou a vida. De cama durante uns meses, viu-se literalmente confinado a quatro paredes, só com alguns livros religiosos para ler, e sofreu uma incrível conversão. Durante os meses e anos seguintes, Deus continuará a trabalhar no seu íntimo, numa experiência mística turbulenta, tornando Inácio um mestre do espírito e o impulsionador de uma obra extraordinária.

A convite do Superior Geral da Companhia de Jesus, P. Arturo Sosa, por todo o mundo ontem se escolheu o paradoxal elogio da derrota. Com efeito, celebrámos efusivamente um dia de aparente fracasso e perda (já que Inácio foi para a batalha para ganhar, recusando-se a desistir apesar dos apelos dos seus companheiros, mas acabou derrotado), reconhecendo que foi esse fracasso que mudou completamente a perspetiva de Santo Inácio e revolucionou tantas, tantas vidas a partir daí, entre as quais as dos milhares de alunos que todos os dias "educamos para servir".

Nas homilias das Eucaristias em que nos reunimos neste dia, o apelo foi: saibamos nós também "ver novas todas as coisas em Cristo", com a disponibilidade para reconhecer nos momentos mais difíceis a semente da conversão e da transformação de perspetiva. Deus fala-nos sempre, e às vezes é quando estamos em carne viva que mais estamos prontos para ouvir.

© Colégio de São João de Brito
Propriedade da Província Portuguesa da Companhia de Jesus, Alvará nº 980.